Connect with us

Alpha Pets: Conviver com um pet faz muito bem para a saúde do ser humano

Published

on



Estudos mostram que essa relação pode proporcionar diferentes impactos positivos no âmbito emocional


Fotos: Pixabay

Todo tutor que acompanha a coluna sabe o quanto faz bem receber e dar carinhos no animal de estimação ao chegar em casa depois de um longo dia no trabalho, de uma prova importante na faculdade ou de um exaustivo exercício físico em razão da ligação entre a saúde mental do ser humano e um harmonioso convívio com os pets.

Isso acontece em razão da forte ligação entre os humanos e os animais de estimação, que podem proporcionar diferentes impactos positivos no âmbito emocional, de acordo com um estudo do HABRI – Human Animal Bond Research Institute, nos EUA – Estados Unidos da América.


De acordo com esse estudo da HABRI, 74% dos tutores de animais de estimação, sejam eles gatos, cachorros etc., relataram melhorias significativas em sua saúde mental, atribuídas à estreita relação com seus pets.

“Isso acontece porque o contato com os animais ativa o sistema límbico dos seres humanos, o que resulta na liberação de endorfinas, que geram a sensação de tranquilidade e bem-estar”, afirma Lígia Kaori Matsumoto, psicóloga do Hospital Dia M’Boi Mirim I, gerenciado pelo CEJAM em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo.


Além disso a presença de um animal de estimação pode suavizar significativamente as chances do desenvolvimento de problemas como depressão, ansiedade, sensação de solidão e estresse. Essa relação também promove o aumento da autoestima e estimula as interações sociais entre as pessoas.

“Em adultos, a interação é comprovadamente uma fonte de estímulo para a organização da rotina e a adoção de hábitos diários. E devido à necessidade de atividade física dos animais, eles podem servir de incentivo para que seus tutores também se exercitem, mantendo-se assim mais ativos e saudáveis no aspecto físico”, explica Matsumoto.

Para o físico humano, esses benefícios ainda podem se estender na redução da pressão sanguínea, do colesterol e dos níveis de triglicérides, auxiliando na prevenção de doenças cardiovasculares, segundo estudos do CDC – Centros de Controle e Prevenção de Doenças e do Instituto Nacional de Saúde nos EUA.

Os benefícios dessa conexão se tornam ainda mais evidentes quando nutrida desde a infância. Uma pesquisa publicada no periódico estadunidense Human-Animal Interactions afirma que aqueles que mantêm contato com animais, desde crianças, têm mais chances de desenvolverem sentimentos de empatia e compaixão.

“O contato dos pequenos com animais de estimação é altamente benéfico para seu desenvolvimento. Estar na presença de um bichinho pode ensinar a eles noções vitais de convivência, respeito, cuidado, responsabilidade, pertencimento e autonomia, princípios que ecoam em diferentes fases da vida”, explica a psicóloga.

Apesar de todos os benefícios da interação humana e pet, é fundamental lembrar que a decisão de ter um animal de estimação é um compromisso sério. “É essencial realizar uma avaliação sincera considerando diversos fatores, como sua rotina, espaço, disponibilidade de tempo e recursos financeiros e emocionais para cuidar do animal. Apesar de ser uma experiência maravilhosa, nem todas as pessoas estão prontas ou em um momento adequado de suas vidas para assumir essa responsabilidade”, finaliza Matsumoto.