Connect with us

Alpha Notícias: Brasil já teve 10.060 mortes por lesões no trânsito em 2023

Published

on



Ocorrências aumentam no fim do ano e, mesmo quando não há vítimas fatais, as consequências podem ser graves


2023 nem acabou e 10.060 pessoas perderam a vida por lesões em acidentes de trânsito, de acordo com dados preliminares do Ministério da Saúde, até outubro.

Com a chegada do mês de dezembro, boa parte das pessoas planejam viajar para desfrutar do período de festas e férias e é justamente no fim do ano que os números de acidentes e mortes no trânsito aumentam.

Mesmo quando o acidente, felizmente, não resulta em vítimas fatais, as consequências podem ser graves, em função do politraumatismo, quando duas ou mais partes do corpo são lesionadas, explica o presidente da Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico (TRAUMA), José Octavio Soares Hungria.

“É comum que acidentes de grande impacto resultem em sequelas, impactando para sempre a vida da pessoa. Lesões permanentes, cicatrizes, incapacidade motora parcial ou total, aposentadoria compulsiva são só alguns dos prejuízos trazidos por essa situação”, fala.

O especialista pontua, ainda, que um quadro de politraumatismo pode levar o indivíduo a uma condição de esgotamento da capacidade fisiológica de equilíbrio orgânico, “tornando-se potencialmente fatal”.

Segundo a PRF – Polícia Rodoviária Federal, quase 80% dos acidentes poderiam ser evitados por mudanças de conduta dos motoristas. Nos primeiros meses de 2023, por exemplo, 77% dos acidentes ocorridos no período tiveram como causa escolhas erradas por parte dos motoristas, de acordo com os dados apresentados pela Diretoria de Operações da PRF. São exemplos desse tipo de conduta evitável as ultrapassagens indevidas, velocidade incompatível, ingestão de álcool, falta de atenção e desobediência às leis de trânsito.

Além da prudência ao dirigir, respeitando o limite da via e demais normas locais, o uso do cinto de segurança é imprescindível para todos os passageiros, incluindo os do banco traseiro. “A força recebida em uma batida é cerca de 35 vezes o peso da pessoa, tornando o uso do cinto fundamental. Em batidas laterais ou capotamentos, o cinto de segurança protege os ocupantes, impedindo que sejam arremessados contra si ou para fora do carro”, fala o especialista.

Já para crianças, cadeirinhas ou assentos de segurança conforme recomendado para cada idade e tamanho devem ser instalados corretamente de acordo com as instruções de fabricantes, para garantir a proteção dos pequenos.

“São tempos festivos, de diversão e para que isso seja mantido, o poder está nas mãos de cada um de nós. Com responsabilidade, atenção e respeito, teremos um longo caminho a percorrer, trilhados por bons momentos a serem compartilhados junto aos nossos entes queridos. Como aquele dito popular mesmo diz: devagar e sempre”, conclui.